quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Black

Está tudo bem?
Desejo muito que esteja bem. 
Bem, ao menos um de nós precisa estar.

Desculpa esse meio no meio de uma tarde tão fria, tão cinza
Agora cai a chuva e pela janela já não vejo aqueles tons purpurios. 
Também não vejo como isso pode fazer bem a qualquer um de nós, 
Mas preciso comunicar -- Não era esse o verbo? 

Sei que um dia tudo serão apenas lembranças, 
Mas é que por mais que eu sorria
Encontre pupilas, 
Por mais que eu viva, ainda sinto-me uma lacuna.

Pinturas por fazer, esculturas em busca da forma,
Cinco vezes cinco horizontes girando em torno de um eu
A quem não fui apresentado ainda.

Tudo preto.
Fui eu que mudei ou foi o chão que pisei?
Teus passos quebraram algo aqui em algum lugar
Não sei onde e também não interessa.

Afinal, a alegria está aí -- é Natal? E daí?
Não tenho do que sorrir nem com quem dividir.
E meus pensamentos estão mudando muito rápido
Quantos cacos de vidro estão em meus pulmões?

Do escuro eu já te posso ver;
És fonte de luz, nunca deixastes de ser.
Iluminas um outro céu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário